NOTÍCIAS


21.10.2010

 

Construção civil é campeã em
emprego sem carteira assinada

Pense no seu futuro e não trabalhe sem registro

 

O problema da informalidade continua sendo uma realidade na construção civil. Balanços do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostram que os empregos informais chegam a ultrapassar 50% nas regiões metropolitanas. No Brasil, são 2,7 milhões de trabalhadores na informalidade. O trabalho sem registro também está ligado às terceirizações e quarterizações, que precarizam a saúde e segurança do trabalhador.

 

O que é informalidade
É quando o trabalhador não tem registro em carteira, e, portanto,
está desprotegido. O trabalho informal na indústria da construção está ligado à subcontratação de empresas, em sua maioria de pequeno porte, que funcionam à margem da legislação trabalhista.

 

Quem perde
A informalidade traz prejuízos para toda a sociedade. Além dos prejuízos para o governo e para as empresas que cumprem com suas obrigações, quem mais perde com a informalidade são os trabalhadores, que ficam sem o amparo da legislação trabalhista e excluídos da rede de proteção social garantida pela Previdência.

 

Conseqüências do trabalho informal
Sem carteira assinada, o trabalhador fica fora do sistema de proteção social, e no futuro próximo, sem aposentadoria. Em caso de acidente, não tem garantia de renda. O combate contra a informalidade começa com você que não aceita o trabalho sem registro. Resista e denuncie ao Sindicato.  Vamos exigir a fiscalização do Ministério do Trabalho.

 

“Sujar” a carteira não existe

Alguns trabalhadores podem até considerar "normal" trabalhar sem a carteira assinada, visto que a falta desta não se mostra uma novidade, mas uma constante na atividade da construção civil. Consideram desnecessária a contratação com carteira assinada porque acreditam que, se forem demitidos em curto espaço de tempo, estarão sujando a carteira e pode levar o patrão a pensar que o trabalhador é irresponsável e que não fica em lugar nenhum. Mas isso não é verdade. 

Mesmo que o tempo de trabalho registrado seja curto, esse tempo vale na contagem de tempo para a aposentadoria e demais direitos trabalhistas além de assegurar provas de suas experiências profissionais. Trabalho sem registro é coisa de patrão que quer sonegar e prejudicar a vida do trabalhador.